Você é um líder tóxico para a sua equipe? Veja como não ser!

Quando falamos sobre liderança tóxica, o que você pensa que é? Pessoas altamente autoritárias, que não sabem comandar suas equipes da maneira certa ou, mesmo que aparentemente sejam bons chefes, causam mal aos colaboradores de alguma forma?

Realmente esses são exemplos de liderança tóxica, mas é preciso de muitos menos que isso para tornar-se um líder ruim. 

Quando o líder é tóxico, diversas consequências negativas surgem, como:

  • Possíveis danos morais aos colaboradores;
  • Situações de estresse na equipe;
  • Desconforto físico e emocional do time;
  • Falta de alcance dos objetivos e metas da empresa;
  • Alta rotatividade na companhia.

De acordo com um estudo realizado pela BambooHR com diversas empresas, 44% dos entrevistados afirmaram que já pediram demissão por causa de um líder tóxico

Como você pode ver, esse cenário não é incomum.

Preparamos esse conteúdo para você entender mais sobre:

Boa leitura!

O que é ser um líder

Antes de definirmos o que é uma liderança tóxica, vamos entender melhor qual é o perfil do líder ideal. Qual é o modelo a ser seguido. 

De acordo com Raul Candeloro, sócio do IEV e fundador da revista VendaMais, o líder é aquele que consegue conduzir a equipe e alinhá-la às metas e objetivos da empresa. Além disso, ele precisa criar um ambiente no qual a equipe sinta-se segura fisicamente e mentalmente, e tenha confiança nele e nos outros colaboradores.

Ou seja, ele não pode ser negligente, permissivo ou autoritário. O líder precisa ter as seguintes características e qualidades:

  • Ser presente na rotina dos colaboradores: mais que fisicamente, é necessário conhecer os processos, as tarefas de cada um e, claro, cada profissional do time;
  • Saber dizer “não” nos momentos certos: não adianta permitir que a equipe faça tudo que quiser apenas para parecer ou ser considerado legal;
  • Também saber dizer “sim”: o líder não é carrasco ou autoritário, ele sabe balancear o que é liberdade e o que é libertinagem. 

O verdadeiro líder apoia e cobra o time nos níveis certos, entende que cada colaborador é um ser humano com particularidades, dificuldades e com uma vida própria. Sendo assim, a liderança verdadeira se pauta nesses valores. 

Ficou curioso para saber mais sobre o que é ser um líder, baixe o e-book “Como liderar uma equipe de sucesso”.

O que é liderança tóxica

Já com a definição estabelecida do que é um líder, fica mais fácil entender o que é ser um líder tóxico: ser o contrário de todas as características positivas abordadas no tópico anterior.

A liderança tóxica acontece quando o chefe não desenvolve as habilidades, atitudes e características necessárias para liderar, o que gera reações negativas no time. 

Assim como em outras áreas da vida, é comum que a pessoa que está sendo tóxica não perceba. Por isso, veja como não se tornar esse profissional. 

Como saber se eu pratico liderança tóxica

Qual é o seu perfil de liderança? Algumas atitudes são mais claras para definirmos um líder como tóxico, como assédio moral e físico, além de criar um ambiente onde o medo é valorizado como forma de “autoridade e respeito”, por exemplo. 

Mas, existem outras atitudes que também podem te colocar na categoria de “líder tóxico” e, muitas vezes, são essas que passam despercebidas na rotina do dia a dia. Por isso, confira algumas características comuns a esse tipo negativo de liderança. 

7 características de um líder tóxico 

Pensa somente nos resultados

Um dos principais erros que um líder pode cometer é considerar que o processo comercial é composto apenas por tarefas a serem cumpridas. Saiba que ele também é feito por pessoas.

Não avaliar o impacto emocional que um processo pode gerar no time é uma característica forte de uma liderança tóxica. Quando isso ocorre, os colaboradores podem sentir-se infelizes, sobrecarregados e desengajados com a empresa. Não busque o resultado a qualquer custo. 

Não é claro e transparente em suas ações

Um líder tóxico tende a não comunicar a equipe sobre as decisões e processos que acontecem na empresa. Isso, além de criar barreiras entre o time e a gestão, pode acarretar problemas quanto às metas e objetivos do negócio, pois os colaboradores ficam desalinhados com elas.

Supervisiona abusivamente

A supervisão abusiva é outra característica muito marcante em um líder autoritário, ou seja, em um líder tóxico. 

O controle obsessivo de todo o processo e a falta de confiança na equipe demonstra um sério problema de gestão.

Muitos podem tentar justificar o excesso de cobrança e de supervisão com a fala de que “a equipe não entrega resultados”. Mas, é importante lembrar que o time é sempre um reflexo de como o gestor lidera. Ou seja, se não há entregas, é necessário elaborar estratégias para descobrir o real problema.

Não tem conhecimento sobre os processos

Se um líder precisa direcionar a equipe para alcançar os objetivos da empresa por meio de estratégias com base nos processos, certamente ele precisa ter domínio deles. 

Quando o líder não conhece as etapas comerciais, o papel de cada colaborador no time, a estratégia, a visão e as metas da empresa, ele não é capaz de levar o time ao sucesso. 

Pelo contrário, a tendência é que ele atrapalhe e, por isso, seja considerado tóxico. Por não ser capaz de liderar. 

Mesmo que ele tenha o perfil de líder, se não estiver alinhado ao processo, torna-se ineficiente e um obstáculo para os colaboradores, causando desmotivação.  

Desconsidera a visão alheia

O líder tóxico também tende a considerar que apenas o seu ponto de vista e suas ideias estão corretos. É fato que, se ele chegou à liderança é porque tem uma bagagem de conhecimentos, mas em todo momento é possível aprender algo novo e ele não se abre a essa oportunidade quando desconsidera a visão dos outros colaboradores. 

Isso pode acontecer em pequenas ou grandes situações, mas não importa o tamanho delas, o que importa é a postura do gestor.

Desvaloriza as conquistas do time

Sabe quando o time conquista algo importante e o líder pode até dar os parabéns, mas não valoriza, de fato, a conquista? Esse é um outro sinal de liderança tóxica

Um exemplo claro disso é a maneira como o líder tenta motivar a equipe após bater uma meta, por exemplo, é muito melhor falar:

“Parabéns por essa conquista! Estou muito orgulhoso de até onde você chegou e vejo que você ainda vai avançar muito mais profissionalmente porque vem desenvolvendo um ótimo trabalho!” do que dizer “parabéns, mas ainda não chegou à sua meta maior”. 

Percebeu a diferença? No segundo exemplo o líder acaba desmotivando o colaborador ao não dar a devida valorização à conquista dele. 

Não dá feedback construtivos

Em último lugar, vem o feedback. Ele está ligado à comunicação clara e objetiva, pois contribui para esclarecer o que foi feito corretamente e o que necessita de uma atenção maior para que haja evolução. 

O feedback precisa ser constante e não só quando houver algo a corrigir, ele não pode ser uma ação que causa medo nos colaboradores. O retorno do gestor deve ser visto como uma oportunidade de crescimento. 

Se em uma equipe há essa situação de nervosismo exagerado, pode ser um sinal de que a liderança está sendo tóxica, pois os feedbacks que o chefe dá são feitos de uma maneira que gera um resultado contrário ao esperado. 

Como não ser um líder tóxico

Liderança é algo que se aprende com as experiências na profissão, na prática, mas também é possível (e é necessário) aprender com a teoria. Estude sobre inteligência emocional para lidar melhor com suas emoções, atitudes e também as das outras pessoas. Também estude sobre como ser um líder que entrega resultados, inspira e influencia pessoas. 

Existem cursos no mercado, como o “Gestão de Equipes Comerciais” (GEC), e também há soluções que englobam não só o gestor, mas também a equipe. Assim, é possível melhorar o ambiente de trabalho e os resultados de todo o time. 

Quer saber mais sobre esse e outros desafios da liderança? Quer tornar-se um líder de alta performance que lidera uma equipe de elite em vendas? Agende uma reunião estratégica gratuita com um de nossos especialistas!