Como fazer curva ABC? Veja o passo a passo e aplique em seu negócio

Entender como fazer uma curva ABC para analisar e balancear o valor de processos, clientes e produtos em seu faturamento pode conferir à empresa uma vantagem estratégica sobre a concorrência. 

Isso porque a análise permite identificar tópicos que merecem maior investimento (financeiro, de tempo e esforço), já que tendem a impactar mais expressivamente nos resultados da empresa.

Pensando nisso, preparamos este artigo. Ao longo da leitura, você vai entender como esse método funciona e como fazer uma curva ABC para mensurar o impacto de itens de estoque, processos internos e clientes na receita gerada no seu negócio. 

O que é curva ABC? 

Curva ABC é o nome dado a um popular método de classificação de informações por grau de importância. É popularmente utilizado no controle de estoque, mas também pode ser útil para avaliar e redistribuir processos internos, classificar clientes de acordo com seu ticket médio ou nível de importância e por aí vai. 

A curva ABC tem como base a definição de uma ordem de prioridade entre os diferentes aspectos avaliados, essa ordem se pauta em 3 níveis: A, B e C. Nessa escala, a classificação “A” corresponde ao maior nível de importância, “B” a um intermediário e “C”, o de menor importância ou expressividade. 

Os cientistas criadores do método defendem que, de forma geral, apenas 20% dos produtos ou serviços de um negócio geram 80% do retorno à empresa. A proporção 80-20, também bastante utilizada como referência na gestão de empresas, é conhecida como Análise de Pareto. 

Certo. Mas como fazer a curva ABC se tornar, de fato, uma curva? Neste caso, é preciso conhecer o gráfico da curva ABC, formulado a partir da comparação do impacto de cada resultado obtido na receita total do negócio. 

Veja abaixo um vídeo que explica o conceito da curva ABC e também do gráfico formado a partir da organização dos resultados obtidos. 

Por que a curva ABC é importante? 

A análise da curva ABC auxilia na tomada de decisões estratégicas e na sistematização de processos organizacionais. Isso porque ela permite um entendimento claro daquilo que impacta mais expressivamente nos resultados do negócio, merecendo, portanto, maior atenção da equipe. 

Como montar a curva ABC?

Agora que você já sabe o que é curva ABC e como ela pode ser importante para orientar o planejamento estratégico da sua empresa, é hora de avançar. A seguir, você entende como montar a curva ABC a partir de um passo a passo prático

1. Elenque os itens avaliados 

O primeiro passo para entender como fazer curva ABC é elencar os itens-tema da análise. Estamos falando de produtos do estoque, clientes-chave ou os processos internos avaliados. 

Nesse passo a passo, vamos tomar como exemplo uma análise feita para controle e avaliação do estoque, essencial para a condução da ciência de vendas nas empresas.

A lista deve trazer o máximo de informações sobre os itens avaliados. Eles podem ser dispostos em uma plataforma digital (como um sistema interno, um ERP – Enterprise Resource Planning ou mesmo uma planilha de Excel). 

Lembre-se de que este documento deve guiar qualquer pessoa que se dispuser a consultar a curva. Portanto, garanta que os itens listados sejam facilmente identificáveis. Experimente incluir informações como:

  • Código de identificação do item; 
  • Descritivo detalhado; 
  • Preço;
  • Quantidade no estoque;
  • Itens vendidos no período de tempo avaliado (o recorte de tempo é importante para a obtenção de uma análise mais realista e palpável);
  • Total de produtos adquiridos no intervalo de tempo avaliado. 

Com a listagem em mãos, é hora de iniciar os cáculos. Nesta primeira etapa, são 2: 

1 – Valor unitário do item x vendas realizadas = total adquirido;

2 – Total adquirido do produto 1 + total adquirido do produto 2 + total adquirido do produto 3 (e por aí vai) = total de vendas. 

Guarde os valores obtidos e siga para o passo 2 

2. Torne seu processo inteligente

Para entender como fazer uma curva ABC é preciso otimizar o processo e torná-lo mais inteligente. Para isso, recomendamos a reorganização da lista construída no item 1 da lista. Agora, os itens devem constar na lista em ordem decrescente.

3. Encontre a representatividade do item nas vendas da empresa

O cálculo para compreender a representatividade de um item nas vendas da empresa é simples: basta dividir o total adquirido (obtido no passo 1) pelo total de vendas obtidas no período avaliado

Se, por exemplo, seu produto tem o valor unitário de R$ 25,00 e, no período de 6 meses (janela escolhida), foram vendidas 200 unidades dele, seu total adquirido é de R$ 5.000,00. 

A expressividade do produto na receita total é obtida a partir da divisão do valor adquirido apenas neste produto pelo total de vendas no período. Suponhamos que a empresa tenha faturado R$120.000 neste intervalo de tempo. 

A representatividade do item analisado, seria, então, o resultado da divisão de R$5.000 para R$120.000, ou seja, 4,16%. 

4. Faça a classificação em A, B ou C

Feito o cálculo de todos os itens, é hora de classificar! 

Observe, na tabela, quais são os produtos do topo da lista. Aqueles que, juntos, representam mais de 70% do faturamento da empresa são classificados como A. 

Os produtos de classe B e C devem ser elencados de acordo com a expressividade dos resultados na tabela e também na experiência de vendas da empresa. 

5. Interprete os resultados

Por fim, é hora de analisar os resultados obtidos. 

A recomendação, para a curva ABC utilizada no estoque, é de que itens classificados como A e B devem ser estocados, mas na menor quantidade possível (tomando como base o número médio de vendas no período analisado).

os produtos de categoria C não necessitam de estoque, já que representam uma expressividade limitada no faturamento do negócio. 

Como fazer a curva ABC na empresa? Dicas de implantação e avaliação

Embora a curva ABC pareça um cálculo matemático exato, é preciso ter atenção a algumas dicas. Agora que você já sabe como fazer curva ABC na teoria, conheça as nossas dicas de ouro para torná-la efetiva na prática! 

1. Leve em consideração sazonalidades da empresa 

Ao produzir sua curva ABC, leve em consideração o contexto em que a análise é feita. Isso inclui sazonalidades (como festas e épocas em que determinado produto vende mais do que outros naturalmente) ou condições especiais de compra de um determinado produto junto aos fornecedores. 

Estas informações devem influenciar na avaliação dos resultados. Ainda que um produto seja classificado como C em uma análise, não se precipite ao eliminar de cara seu estoque. Considere os elementos externos e as sazonalidades para tomar decisões e não perder dinheiro! 

2. Revise constantemente os itens na curva 

Embora estabeleçamos uma janela entre as análises, é importante revisar os resultados obtidos com certa frequência. Isso porque vivemos em um cenário comercial volátil. Nele, condições influenciam o tempo todo nos preços de aquisição e venda de produtos, o que impacta, direta ou indiretamente, no volume de vendas. 

Leve os resultados da análise para a sua equipe 

De nada adianta entender como fazer a curva ABC se os resultados obtidos não são compartilhados com a força de vendas

Isso porque estes profissionais têm influência direta na forma como as estratégias de venda são executadas. Dar prioridade a um ou outro produto no discurso de vendas é uma demanda estratégica e precisa ser alinhada previamente entre a liderança e a equipe. 

Se entender como fazer a curva ABC não foi um problema para você, mas transmitir conhecimentos e alinhar o time é um deles, não se preocupe. 

Conte com o IEV – Instituto de Especialização em Vendas para te ajudar. Nossa expertise consolidada em treinamentos e cursos para lideranças, vendedores e equipes pode te ajudar a encontrar os melhores caminhos para estabelecer processos comunicacionais internos efetivos. 

Quer conhecer algumas de nossas soluções para desenvolver lideranças? Fale com um de nossos especialistas sobre esse e outros assuntos da gestão comercial.