Conflitos em empresas familiares: 5 problemas e uma solução

Enfrenta conflitos em empresas familiares? É hora de entender como identificá-los e solucioná-los.

As empresas familiares representam uma generosa fatia das organizações ao redor do mundo .Precisamente, o setor ocupa de 80 a 90% de todas as empresas em todo o mundo. E não é só isso. As 500 maiores empresas familiares do mundo geram uma receita anual de US$6,5 trilhões. Entende a representatividade do segmento? 

Por serem parte de um segmento tão expressivo economicamente, as empresas familiares devem ser geridas com responsabilidade, senso crítico, e, sobretudo, visão e planejamento estratégico

Pensando nisso, e para ajudar a mediar e solucionar os mais comuns conflitos em empresas familiares, preparamos este artigo. 

Conflitos em empresas familiares: 5 possíveis origens

A seguir, você conhece 5 dos mais comuns conflitos em empresas familiares. Nossa sugestão é para que você avalie seu caso e identifique os conflitos vivenciados. Em seguida, conheça nossa solução para minimizar os desafios. 

1. Conflito de gerações

Um dos mais populares conflitos em empresas familiares é o conhecido conflito de gerações. A principal causa do conflito de gerações é o senso comum (ou preconceito) de que as gerações seguintes à sua são sempre superficiais, rasas ou incapacitadas de alguma forma. 

Por conta deste conceito pré-estabelecido, novas propostas de gestão e liderança, ideias inovadoras e disruptivas tendem a ser vistas com maus olhos. Isso contribui para a criação de uma forte resistência da gestão anterior (muitas vezes formada por uma geração mais antiga) à incorporação do novo líder à empresa. 

2. Conflito de interesses

Aqui, também temos um outro exemplo comum entre os conflitos em empresas familiares: o conflito de interesses.

De forma geral, podemos dizer que o conflito de interesses ocorre quando há choque entre as expectativas e desejos de diferentes membros da família em atuação na empresa. Na prática, conseguimos observar o conflito de interesses em: 

  • momentos de transição de lideranças, quando dois ou mais membros da família almejam o mesmo cargo;
  • definição de estratégias e processos organizacionais, quando os planos de negócio de diferentes membros da família são diferentes e conflituosos; 
  • implantação de novas metodologias de trabalho, como a criação de uma cultura inovadora na empresa. O conflito, neste caso, ocorre quando diferentes membros da família pensam de formas distintas sobre a essência da cultura organizacional. 

3. Decisões baseadas na emoção, e não na razão

Outro desafio para quem administra ou trabalha em uma empresa familiar é a dificuldade de guiar tomadas de decisão estratégicas pela razão, e não pela emoção. 

Possivelmente, os fatores acima mencionados influenciam para que, em momentos decisivos, como momentos de crise e planos de crescimento da empresa, o corpo gerencial enfrente dificuldades em deixar de lado aspectos pessoais para se concentrar apenas em uma visão racional do negócio. 

A influência dos problemas pessoais e desentendimentos a nível familiar nos negócios pode trazer obstáculos indesejados para a gestão das empresas. 

4. Interferência de parentes que não atuam na empresa

Além dos conflitos em empresas familiares mencionados anteriormente, há, também, a influência externa nos negócios da empresa. 

Quando dizemos “externa”, nos referimos àqueles familiares que não trabalham diretamente com o negócio, mas sentem-se à vontade para opinar no gerenciamento da empresa. Isso ocorre informalmente, em reuniões familiares, como almoços ou visitas, ou formalmente, em visitas à empresa e na participação indevida de reuniões e tomadas de decisão. 

5. Falta de diálogo

Por fim, não podemos deixar de mencionar a falta de diálogo como um dos conflitos em empresas familiares. Este, na verdade, é um problema que se expande para além das famílias, mas, nestas situações, se mostra frequente. 

Uma gestão harmoniosa passa, necessariamente, pelo diálogo aberto em todas as esferas da organização: 

  • entre o corpo diretor e conselheiro (estrutura bastante comum em empresas familiares);
  • líderes e colaboradores;
  • entre os próprios times;
  • líderes e gerentes; 
  • e por aí vai. 

Como contornar os conflitos? É hora de investir na profissionalização da empresa familiar! 

Se você se identificou com alguns dos conflitos em empresas familiares mencionados anteriormente, não se preocupe! 

A seguir, você conhece uma solução eficaz capaz de resolver, de uma só vez, grande parte dos desafios enfrentados pela gestão em família: a profissionalização do negócio. 

Profissionalizar uma empresa familiar pode parecer desafiador, afinal, há diversas lideranças batalhando para que seus pontos de vista se sobressaiam aos demais. 

Entretanto, com a clareza de alguns conceitos e práticas, fica mais fácil entender e aplicar a profissionalização da empresa familiar. A seguir, falaremos sobre alguns deles. 

1. Definição clara de missão, visão e valores do negócio

O primeiro passo para profissionalizar uma empresa familiar é definir, de maneira clara, os valores que regem o negócio. 

Ter os valores da empresa acessíveis e claros para todos auxilia no entendimento do propósito daquele negócio. De quebra, ainda ajuda a minar casos em que familiares trabalham no negócio sem saber ao certo o que fazem ou por que fazem. 

No vídeo abaixo, você entende melhor como funciona o processo para definir a missão, visão e valores de uma empresa ou projeto. 

2. Segmentação clara de atividades na empresa

Outra forma de minar conflitos em empresas familiares é criar uma segmentação clara de atividades na empresa. Esta segmentação pode começar no nível gerencial, definindo os cargos com poder decisório e os cargos de apoio. Dessa forma, o escopo de atuação de cada membro da família torna-se padronizado e formalizado, reduzindo, assim, as possibilidades de desvio de função ou interferência inadequada em processos. 

3. Criação de um bom plano de sucessão

Ter um bom plano de sucessão é uma forma de lutar contra o conflito de gerações — um dos mais comuns conflitos em empresas familiares. 

O plano de sucessão é um documento formal que detalha o passo a passo da transmissão de um cargo de liderança na empresa. Este plano deve ser colocado em prática com antecedência, para que o líder sucessor consiga se familiarizar aos valores do negócio e ao modus operandi da empresa. 

Com uma boa gestão de sucessão, é possível mesclar, de forma saudável, os aspectos bem-sucedidos de ambas as gerações envolvidas no processo. 

4. Estruturação de processos organizacionais claros

Para finalizar nossa lista de dicas de ouro para a profissionalização da empresa familiar, vamos falar sobre estruturação de processos. 

Tanto quanto um plano de sucessão para a liderança, a estruturação de processos guia o time de colaboradores para que trabalhe sempre de maneira alinhada ao propósito do negócio. 

Isso garante que, independentemente da geração ou da equipe que compõe o corpo diretor, o negócio sempre caminhará de maneira paralela aos valores idealizados para o negócio. 

Como promover a profissionalização da empresa na prática? 

Para eliminar conflitos em empresas familiares e promover a profissionalização do negócio, alguns passos são fundamentais. Um deles é a especialização da liderança, que deve desenvolver habilidades e competências consoantes aos princípios e valores da organização. 

Outra dica para manter os processos organizacionais alinhados e fluidos é apostar em treinamentos para vendedores e colaboradores. 

Para te apoiar neste passo importante, o IEV – Instituto de Especialização em Vendas disponibiliza cursos e mentorias para líderes e liderados, com foco em organização, produtividade, gestão e vendas.

Além disso, nossa expertise nos permite uma avaliação sistêmica do negócio, fornecendo apoio a organizações que buscam se profissionalizar para alcançar melhores resultados. Conheça o portfólio de cursos do IEV aqui!