Liderança motivacional: seja uma figura inspiradora e garanta o sucesso do seu negócio

Liderança motivacional: seja uma figura inspiradora e garanta o sucesso do seu negócio

Você é ou conhece uma liderança motivacional? Saiba que este perfil, arrojado, conciliador e capaz de reconhecer boas práticas em seu time, pode influenciar diretamente na performance do seu negócio. 

Prova disso é este estudo da Whoohoo, que mostra que uma liderança ruim é a principal causa para a infelicidade de mais de 40% dos colaboradores no trabalho

A pesquisa ainda vai além ao reforçar que, para 37% dos respondentes, não ser reconhecido pelo desempenho é um dos fatores de maior impacto na sensação de satisfação e felicidade em uma empresa.

Se o seu perfil de liderança não tem como hábito ouvir, envolver e motivar colaboradores, talvez seja a hora de pensar diferente. 

Para te ajudar com esta tarefa, separamos algumas informações úteis sobre o tema neste artigo! 

O que é liderança motivacional? 

Liderança motivacional é uma metodologia de gestão pautada na empatia, no entendimento mútuo e, sobretudo, na inspiração. 

O propósito do líder motivacional é encontrar os pontos de destaque nos membros de seu time e valorizá-los durante a rotina, de forma orgânica e também por meio de reconhecimentos e prêmios. 

Como ser um líder motivador? 

O líder motivador carrega consigo um conjunto de habilidades e características que o destacam dos demais. 

Lembre-se de que, ainda que algumas destas características ainda não estejam inerentes à sua personalidade, é possível trabalhar para desenvolvê-las. Esta, aliás, é uma das essências do líder motivacional: alguém que está constantemente em busca da melhoria contínua. 

Veja a seguir mais algumas habilidades-chave deste profissional. 

1. Olhar atento e escuta ativa

Uma boa liderança motivacional entende que o foco de seu trabalho são as pessoas. Por isso, mantêm o olhar atento e a escuta ativa para as demandas da equipe. 

E não confunda “escuta” com “escuta ativa”. Os dois conceitos são muito diferentes! Muito mais do que simplesmente ouvir, a escuta ativa permite a avaliação e atenção plena naquilo que está sendo dito. 

Na prática, uma pessoa que exercita a escuta ativa não se preocupa em interromper ou complementar o raciocínio do emissor. Pelo contrário! Quem escuta ativamente se reserva ao direito de prestar atenção, absorver o que foi dito, entender o posicionamento do outro e só intervir quando for a hora. 

Veja no vídeo abaixo como a escuta ativa impacta nas relações interpessoais: 

2. Comunicação clara

Além de ouvir com atenção, o líder motivacional precisa saber se comunicar de forma clara. Utilizar uma linguagem simples, acessível e envolvente é um dos segredos para manter o engajamento do time e estimular a cultura de inovação

3. Ênfase no trabalho em equipe

É impossível falar em motivação no trabalho sem mencionar o valor da colaboração. Aliás, esse pode ser considerado o conceito-chave para empresas bem-sucedidas. 

Dessa forma, é essencial que o líder motivacional saiba como enfatizar, estimular e motivar a equipe de vendas para que trabalhe de forma complementar. 

4. Jogo de cintura e adaptabilidade

Um bom líder precisa ser, também, um bom gestor de crises. Por isso, jogo de cintura e adaptabilidade são essenciais. 

A motivação está intimamente relacionada à sensação de respeito, de acolhimento e confiança. E isso exige, da liderança, a capacidade de mediar eventuais conflitos, ouvir opiniões divergentes e de adaptar cronogramas e tratativas para uma solução democrática e abrangente. 

5. Capacidade de reconhecer e estimular boas práticas 

Quando falamos em liderança motivacional, o que primeiro lhe vem à mente? É provável que a palavra “reconhecimento” apareça, e isso está muito correto! 

Para que um líder se consolide como uma figura capaz de inspirar e motivar, ele precisa ser capaz de reconhecer, em sua equipe, boas práticas, ações exemplares e comportamentos de destaque entre os colaboradores. 

Qual a importância da liderança eficiente e motivacional para o sucesso das empresas? 

Com as habilidades e características pontuadas acima, fica fácil entender por que uma liderança motivacional pode influenciar positivamente no desempenho de uma empresa, certo? 

Mas vamos além! Veja abaixo de que forma uma liderança eficiente contribui para a motivação dos colaboradores e o alcance de bons resultados no negócio.

Podemos dizer que uma liderança motivacional contribui para:  

  • alinhamento de objetivos ao planejamento estratégico do negócio; 
  • manutenção dos processos organizacionais de forma fluida; 
  • estímulo a tomadas de decisão mais criativas e confiantes; 
  • alinhamento da força de vendas
  • redução ou eliminação da procrastinação no trabalho;
  • etc. 

2 exemplos de liderança motivacional

Agora que você já entende o conceito, as principais características e os impactos da liderança motivacional na empresa, que tal ver alguns exemplos práticos? 

Separamos 2 líderes de visibilidade global que revolucionaram a gestão de pessoas com métodos inovadores e envolventes. 

Steve Jobs

Impossível tocar no assunto “grandes líderes” sem mencionar o cofundador da Apple, Steve Jobs. 

Os diversos aspectos e lições de Jobs ao longo de sua vida profissional, além de inspirar e motivar centenas de pessoas ao redor do mundo, renderam inúmeros livros que são referências em administração e marketing. 

Quer ver alguns dos diferenciais do olhar gerencial de Steve Jobs? 

  • compreensão ampla dos processos: Steve Jobs era a favor de manter o máximo possível de processos dentro da própria empresa. Para ele, este era um sinal de domínio da cadeia produtiva de um produto ou serviço — o que se relacionaria diretamente com a motivação do time, que trabalharia de forma mais orientada e assertiva. 
  • valorização da simplicidade: pense em um produto Apple de sua escolha. Agora reflita conosco: qual característica define o design deste produto? Se você mencionou o minimalismo, saiba que este era um dos pilares da liderança motivacional de Steve Jobs. Para ele, o excesso confunde e atrapalha. Por isso, orientava sua equipe a operar apenas com o que fosse considerado estritamente necessário. 
  • o poder da ambição: Steve Jobs enxergava a ambição como um motor da inovação. Para ele, desejar mais era um combustível essencial para encontrar soluções inimagináveis para problemas corriqueiros. 

Veja uma das icônicas falas de Steve Jobs sobre a gestão da Apple e o poder da colaboração de equipes: 

Bill Gates

Visionário, inspirador e capaz de estimular a mudança positiva na organização. Com estas características, Bill Gates, da Microsoft, ganhou o mundo. 

Algumas das lições dadas por Gates sobre a liderança motivacional e seu poder transformador são: 

  • estímulo à colaboração: discussões saudáveis, encontros entre setores e compartilhamento de desafios. Estes foram alguns dos ingredientes usados por Gates na receita que transformou a Microsoft. De uma empresa competitiva e opressora, a empresa passou a ser reconhecida como um ambiente de cocriação. 
  • planejamento do futuro: para Bill Gates, um bom líder é capaz de vislumbrar o futuro de forma realista e, sobretudo, de inspirar o time a tornar esta projeção real. 
  • valorização da equipe interna: os times de Bill Gates sempre foram valorizados, motivados e incentivados para que atuassem não apenas como colaboradores, mas também como promotores da marca. 

Treine para ser um bom líder

Ser uma boa liderança motivacional não é um movimento do dia para a noite. É preciso conhecer as particularidades do time, entender suas demandas e desenvolver, em si mesmo, as habilidades fundamentais para o perfil. 

Entretanto, é possível tornar este processo de aprendizado mais certeiro com a ajuda de parceiros especializados no assunto, como nós, do Instituto de Especialização em vendas. 

Muito mais do que a maior escola de vendas do Brasil, o IEV é referência no que faz e se compromete com a concretização das metas de seus clientes, levando-os aos resultados desejados com uma experiência memorável.

Conheça alguns de nossos cursos voltados para a liderança:

Gestão de equipes comerciais

Inteligência Relacional aplicada a Vendas.