Metodologia Lego: o treinamento criativo para desenvolver sua equipe

Hoje em dia, é comum ver as empresas investirem em métodos de treinamento para criatividade e desenvolvimento. Com isso, os resultados são inúmeros, como motivar, engajar, melhorar o relacionamento interno entre os setores e, certamente, contribuir com o resultado final do negócio.

Nesse sentido, diversas companhias buscam maneiras inovadoras de aplicar esses treinamentos.

Além disso, o Linkedin diz que a criatividade é uma das tendências do mercado atual. Isso acontece porque os Millennials estão em peso no mercado de trabalho. 

Millennials é a geração nascida nas décadas de 80 e 90. A característica dessas pessoas é que cresceram em um mundo globalizado, com mais estabilidade econômica e com o surgimento da internet. Ou seja, pode-se dizer que eles tiveram muitas oportunidades de serem curiosos e despertarem a criatividade. 

Com o mercado sendo renovado, é comum que as metodologias e processos também mudem. Exemplo disso é a Rentcars.com, uma das líderes globais em conectar pessoas com as melhores opções de aluguel de carros no mundo.  Ela encontrou na metodologia Lego Serious Play uma forma lúdica de desenvolver sua equipe.

Treinamento para criatividade LEGO Serious Play

A metodologia Lego nos processos de treinamento de criatividade da empresa foi implementada no início de 2019. Os resultados, com toda a certeza, são que ela é uma excelente ferramenta no estímulo à inovação do time. 

O conceito do trabalho é baseado na experiência de cada profissional. Segundo a HR Business Partner da Rentcars.com, Paula Baldão Hahn, que já utilizou a metodologia, as dinâmicas com o Lego apresentam um resultado bastante satisfatório. 

“Um dos segredos desse sucesso é a personalização, ou seja, cada um constrói à sua maneira. Não existe certo ou errado”.

As dinâmicas envolvem todas as pessoas participando 100% do tempo, o que, segundo ela, torna o processo eficaz e promove um maior engajamento dos participantes. 

Os diretores da Rentcars.com foram os primeiros a experimentar esse treinamento de criatividade, que depois foi multiplicado para várias áreas da empresa, como Recursos Humanos, Marketing e Tecnologia. 

Desse modo, diversos Renties, como são carinhosamente chamados os profissionais da Rentcars, já realizaram treinamentos com o Lego. Além disso, a técnica foi essencial para um dos programas de formação de líderes desenvolvido internamente.

Divulgação: equipe Rentcars.com

A metodologia LEGO

De acordo com a Paula, “o Lego Serious Play resgata essa necessidade de trabalhar com a parte lúdica, promovendo uma maneira diferente e leve de assimilar os conteúdos abordados”. A HR Business Partner comenta que a prática ativa o processo criativo e trabalha assuntos diversos de forma mais prática e visual.

 A dinâmica com o Lego faz com que as pessoas se sintam mais à vontade para expressarem assuntos sensíveis, e promove maior interação e empatia ao tornar todos os participantes protagonistas.

“Uma das vantagens é a junção dos estímulos visual e tático, que promove o estímulo dos dois lados do cérebro, trabalhando a parte lógica e criativa simultaneamente”, complementa Paula. 

Treinamento de criatividade para resolução de problemas

Agora, veja como aplicar a metodologia LEGO Serious Play (LSP). São quatro etapas a fim de extrair o máximo da criatividade de todo o time.

1ª etapa

Em primeiro lugar é preciso realizar uma pergunta que ainda não tem solução e está relacionada com a situação da empresa. Esse questionamento não tem resposta certa ou errada.

Aqui, o propósito é engajar todo o time.  Na apresentação da problemática, descreva o desafio de forma clara e concisa a fim de todos entenderem a pergunta. 

2ª etapa 

Em segundo lugar, vem a parte que os colaboradores começam a trocar informações e relacionar as suas experiências anteriores com o problema que precisa de solução. 

No entanto, as conexões não devem ser apresentadas apenas pela fala ou usando documentos e outros papéis, mas sim as peças de LEGO.

Neste treinamento de criatividade, a equipe deve criar um modelo. O uso das mãos reativa uma parte da memória, o que certamente possibilita uma forma nova de encontrar a resposta. O objetivo é construir uma história com valores e significados. 

3ª etapa

Agora, em terceiro lugar, vem a hora de compartilhar as histórias em voz alta com os outros participantes, mesmo que mais simples ou complexas, não importa, tudo deve ser compartilhado. 

Enquanto relatam as jornadas que criaram, certamente vão surgir novos insights, novas ideias criativas. 

Ou seja, os questionamentos e interações entre a equipe também colaboram para o resultado final.

4ª etapa

Por fim, a última etapa  é a finalização do treinamento de criatividade, com base em reflexões das fases anteriores. Neste momento, deve ser estimule a reflexão sobre o que foi ouvido, falado e compartilhado. 

Mais uma vez, lembre-se que nada é uma ideia errada ou ruim. O ser humano pode, com toda a certeza, aproveitar e melhorar tudo.

LEGO: muito mais que um brinquedo 

A inovação da própria LEGO pode servir de inspiração para o seu negócio. A LEGO é uma empresa conhecida mundialmente por produzir peças para brincar. No entanto, com o surgimento dos videogames e outros brinquedos eletrônicos, ela precisou se reinventar e decidiu focar na educação. 

Foi nessa transformação que criaram o modelo LEGO Serious Play em 2001. Johan Ross e Bart Victor, professores da IMD Business School em Lausanne, na Suíça, e Robert Rasmussen, diretor de pesquisa e desenvolvimento da Lego Education, pensaram nesse modelo. 

O objetivo é levar o processo de aprendizagem das crianças para os adultos. Era uma metodologia para uso interno, mas acabou se popularizando no meio corporativo. Entre as empresas que aplicaram a LEGO Serious Play estão a Nasa, Coca-Cola, Disney e Google. 

Embora vá completar 20 anos, a LSP só chegou ao Brasil em 2013 pela empresa Play in Company. E, de acordo com pesquisas, é muito bem avaliada tanto por colaboradores quanto por gestores. 

Segundo uma pesquisa realizada pela consultoria americana de RH talent LMS, 80% dos profissionais se sentem mais engajados e produtivos com processos que envolvam jogos.  

Outro estudo divulgado pela consultoria Kahoot! mostrou que os treinamentos corporativos ajudam a melhorar a fixação do conhecimento por parte dos funcionários. 

Por que fazer treinamento de criatividade? 

Embora existam pessoas que têm mais facilidade para ter ideias criativas, uma pessoa pode desenvolver essa habilidade não é algo que não possa ser desenvolvida. 

Existem roteiros e processos que facilitam a criação de soluções diferenciadas. Assim, é possível que cada um desenvolva o seu próprio plano para estimular a criatividade e aplicá-la em diversos âmbitos da vida. 

Com criatividade é possível enfrentar desafios cotidianos e profissionais com muito mais facilidade. A criatividade ajuda:

  • Inspirar tendências;
  • Gerar inovações;
  • Resolver problemas;
  • Encontrar soluções;
  • Estimular a coragem e a ousadia;
  • Gerar um diferencial competitivo;
  • Facilitar a adaptação em tempos de crise;
  • Promover uma comunicação mais efetiva;
  • Favorecer o crescimento pessoal e profissional;
  • Estimular a diversidade;
  • Superar limites. 

Assim, investir em treinamento de criatividade é investir nos colaboradores e na própria empresa. 

Como estimular a criatividade

Como já dito no texto, qualquer ser humano pode desenvolver a criatividade, desde que busque por isso. 

Existem algumas dicas básicas de como desenvolver e estimular a criatividade, como:

  • Ler mais livros, até mesmo de gêneros que não esteja habituado; 
  • Pesquisar sobre assuntos diferentes, como curiosidades históricas e científicas, por exemplo;
  • Fazer coisas não habituais e fora da sua rotina;
  • Separar um tempo para aprender sobre outras culturas.

Com essas pequenas ações, mas com constância, é possível ser mais criativo! 

Leia mais: Como abordar o cliente quando ele chega na loja?