Como fazer fluxo de caixa com 6 dicas que vão fortalecer o seu negócio

Você já sabe que manter uma empresa crescendo de maneira contínua e estável é um desafio, não é? E são várias as tarefas necessárias para que você atinja esse estágio, mas uma delas é primordial: fazer (e melhorar!) o fluxo de caixa

Afinal de contas, a gestão financeira é um dos pilares que sustentam a base de qualquer negócio e que, se feita adequadamente, pode salvar uma companhia! 

O que é fluxo de caixa? 

O fluxo de caixa é uma ferramenta de gestão financeira que acompanha a movimentação de entrada e saída de dinheiro do caixa de uma empresa em um determinado período de tempo. Com ele, é possível analisar dados sobre o faturamento e a saúde do seu negócio, fazer projeções sobre valores futuros e identificar desequilíbrios nas finanças. Todos esses tópicos são importantes para que você tome decisões assertivas em relação ao futuro do empreendimento. 

Como um instrumento de acompanhamento financeiro, o fluxo de caixa é fundamental para que as empresas, sejam elas micro, pequenas ou médias, tenham controle sobre as suas finanças e sucesso na administração do dinheiro. 

E como alcançar isso? Registrando todas as informações de movimentação monetária de maneira consistente e analisando semanalmente, ou até diariamente, os números anotados. 

Por que melhorar seu fluxo de caixa?

Pode parecer uma tarefa monótona e dispensável, mas fazer fluxo de caixa, o mantendo atualizado de maneira eficiente, faz toda a diferença na hora de pensar nas forças e fraquezas do seu negócio! Sem uma visão clara e objetiva dos números da sua empresa, fica mais difícil compreender onde e o quê deve ser mudado ou melhorado.

Separamos 6 dicas para você fazer fluxo de caixa e manter o saldo positivo no fim do mês. E aqui vai um spoiler: dar desconto para fechar mais vendas não é a solução!

 Então, prepare a caneta e boa leitura! 

Como fazer fluxo de caixa

1. Faça um controle diário de entrada e saída de dinheiro

O primeiro passo é anotar, anotar e anotar! Para começar, todas as contas a pagar e todas as despesas mensais da sua empresa: aluguel, salário dos funcionários, energia, água, gastos com materiais, etc. Depois, contas a receber.

Anote diariamente todo e qualquer valor, por menor que seja. Separe por categorias como: materiais de escritório, alimentação, publicidade. Inclua também os pagamentos parcelados (tanto a pagar como a receber), assim é possível organizar o fluxo de caixa a longo prazo.

Outra vantagem em manter o registro de toda movimentação financeira na sua empresa é identificar os gastos que podem ser cortados. 

2. Analise todas as informações de acordo com o período do fluxo de caixa

Com o seu controle diário feito, é necessário que você volte a ler e analisar esses dados frequentemente. Se sua empresa faz muitas vendas ao dia, uma análise diária do fluxo de caixa é a maneira mais eficiente de manter as finanças organizadas. Mesmo assim, é interessante fazer uma leitura mais atenta das informações semanalmente.

De qualquer forma, o que importa aqui é o saldo, seja ele positivo ou negativo. No segundo caso, é nesse momento que você deve descobrir o motivo de ter dinheiro faltando, e reajustar prazos ou solicitar o parcelamento de pagamentos. Ao reconhecer o problema, é muito mais fácil buscar a melhor solução.

3. Planeje a curto e longo prazo

Faça uma projeção mensal e anual para o seu fluxo de caixa. Ao estipular esses números, é possível comparar ao fim de cada mês e ano os gastos previstos com os gastos reais, de possíveis adversidades, da sua empresa. Com essa média de fluxo de caixa, você se prepara com antecedência para outras emergências que possam surgir. 

4. Gerencie o seu estoque

Estoque em excesso é dinheiro parado. Revisite os seus produtos e observe quais deles mais geram lucro e quais não saem do lugar há tempos. É melhor reduzir o seu leque de opções e investir naquilo que possui alta demanda.

Outro ponto relevante é reparar na melhor quantidade e quando suprir a sua reserva de produtos, se atentando aos períodos em que a venda de determinado produto cresce. Para isso, você pode fazer a curva ABC, uma das ferramentas de gerenciamento de estoque e processos.

5. Desenvolva um relacionamento saudável com fornecedores e clientes

Você precisa de um tanto quanto precisa do outro. Mais do que fornecedores e clientes, eles são seus parceiros! Construir uma relação forte e próxima com seus clientes é garantia de fidelização, melhores negociações e até o pagamento antecipado de uma compra, preservando o seu fluxo de caixa positivo. 

Já com fornecedores, além de poder negociar alguma dívida, você consegue condições de pagamento mais vantajosas, descontos e prazos mais favoráveis. Por isso, é considerável investir no atendimento online, como chats e redes sociais, mas também estar disponível em canais telefônicos, além do atendimento presencial. 

Assim, você demonstra que valoriza quem faz o seu negócio caminhar! Outra dica é estudar técnicas de prospecção e abordagem para aumentar sua carteira de clientes. 

6. Não dê desconto para tentar conquistar o cliente! 

Nem sempre o desconto é a melhor escolha para tentar fechar uma venda. Ao invés de ganhar um cliente, você diminui sua margem de lucro, perde dinheiro e corre o risco de acabar no vermelho no fim do mês.

E o desconto nada mais é do que o consumidor pedindo que você abaixe o preço do seu produto até a quantia que ele acredita ser o certo, mas você sabe que não é bem assim… Valor é diferente de preço e é preciso deixar isso claro para o cliente, comprovando para ele que o seu produto é valioso e faz jus ao preço estabelecido.

Outra desvantagem em oferecer desconto ao cliente, é que o vendedor fica preso em um processo lento de venda. Quanto mais ele desperdiça tempo tentando negociar um preço menor, mais o cliente demora a comprar.

Consequentemente, o ciclo de venda aumenta e o investimento em prospecção e aquisição de clientes sobe. Em contrapartida, existem diversas técnicas que tornam o fechamento de uma venda uma tarefa descomplicada e até mais benéfica para o seu negócio.

Agora que você já sabe como fazer fluxo de caixa, os próximos passos para ajudar a sua empresa a voltar a crescer ficam cada vez mais claros, e tomar decisões não parecerá uma responsabilidade tão angustiante.

O IEV (Instituto de Especialização em Vendas) oferece tudo o que você precisa para aperfeiçoar a gestão da sua empresa, além de treinamento para a especialização de vendedores. Fundado em 2014, o IEV é o primeiro instituto educacional do Brasil com foco na profissionalização do time de vendas. Além disso, trabalha ajudando empresas a venderem mais e melhor.