Cartão de visita e cartão fidelidade – Tudo que você precisa saber!

Como fazer cartão para clientes é uma dúvida que qualquer empresa ou profissional da área comercial pode ter. 

Antes de começar, é preciso entender que existem formas diferentes de cartão, como: cartão de visita (apresentação) e cartão fidelidade. Os dois modelos são usados para criar vínculos entre a marca e o cliente, mas em momentos diferentes. 

Entenda, nesse conteúdo, o que é cada um deles e aprenda, de uma vez por todas, como fazer cartão para clientes. 

O que é um cartão de visitas

Muitas vezes usado como contato, o cartão de visitas é o meio perfeito para estabelecer uma conexão inicial com o consumidor. 

Ele pode ser entregue tanto em primeiras conversas como também nas seguintes, mas o seu enfoque realmente é para o momento da apresentação

Nele, há apenas informações básicas, como o nome da empresa, endereço, e-mail, telefone e, claro, o nome do vendedor. 

Benefícios de um cartão de apresentação

Há muitas vantagens ligadas ao uso de um cartão de visitas, mas a principal delas é o reconhecimento. Afinal, como diz o ditado popular “quem não é visto, não é lembrado”. Ou seja, uma única apresentação é suficiente para fazer o consumidor se recordar da empresa em momentos futuros?

Saber como fazer um cartão para clientes que funcione como apresentação é o mesmo que gerar uma oportunidade de reencontro, é se fazer presente no mercado.

Outros benefícios são:

Gatilho mental constante

Imagine que, em um dia qualquer, ao mexer na carteira, um contato vê o seu cartão de visitas e lembra da sua loja e dos produtos ou serviços oferecidos. 

Mesmo que ela não compre naquele momento, você percebe que gerou a oportunidade de criar nela a lembrança viva do que você vende e de que pode encontrar as soluções para os problemas dela com você?

Isso é apenas um gatilho mental, uma estratégia para despertar na mente do outro a necessidade de comprar algo, revelando informações que já estavam no subconsciente dela. 

Profissionalização

Certamente, outro benefício em saber como fazer cartão para clientes é passar profissionalismo à marca. Por exemplo, imagine uma loja em que os vendedores escrevem seus contatos em papéis aleatórios para entregarem aos clientes que falam o famoso “volto mais tarde” ou “entre em contato comigo mais tarde”. 

Com toda a certeza, a loja com cartões de visitas personalizados, com a identidade da marca e nome dos atendentes, gera mais oportunidades de os clientes lembrem dela depois. Afinal, é mais provável uma pessoa guardar um cartão de contato do que um papel qualquer. Não é mesmo?!

O que é um cartão fidelidade

Agora, esse modelo de cartão é diferente do anterior. O primeiro ponto é que ele não precisa, necessariamente, ser em um formato tradicional. Mas é interessante pela facilidade de manuseio e por poder ser guardado na carteira, no bolso ou carro, por exemplo. 

Esse artifício funciona como uma estratégia de fidelizar o cliente e é muito usado dentro de um programa de fidelidade. 

Provavelmente, seja um dos mais comuns no varejo ou em estabelecimentos comerciais onde há interação pessoal e frequente com os consumidores, como em salões de beleza e lanchonetes.

Um exemplo é quando uma sorveteria carimba o cartão do cliente cada vez que ele a visita e consome algo, até que todos os espaços são preenchidos e ele ganha ‘X’ gratuitamente. 

Benefícios de um cartão fidelidade

Não distante do modelo anterior, o cartão fidelidade também ajuda no reconhecimento da marca. Ele é entregue àqueles clientes que já tiveram uma interação com a loja, seja ela a primeira ou não. 

O cartão pode conter as informações básicas de contato, mas não somente isso. Esse modelo também oferece a oportunidade de fidelizar o cliente e cria uma oportunidade de gerar reconhecimento no mercado através da reciprocidade, que é o ato de dar algo e, na mente do outro, despertar a necessidade de retribuir. 

Outro benefício ligado ao cartão fidelidade é a propaganda simples e gratuita que pode ser feita em cima dele, pois assim é possível que os próprios clientes façam a divulgação. 

Isso acontece quando o público está engajado com a marca. Naturalmente há mais consumo, o que faz ela ganhar visibilidade e certamente também ficar mais falada.


Você pode estar se perguntando: “quando e como fazer esses os dois cartões?”.Vamos falar sobre isso a partir de agora!


Quando fazer um cartão de visitas ou de fidelidade?

O mais rápido possível!

O cartão de visitas não pode ser considerado um “luxo”. Ele é uma necessidade, um elemento básico de qualquer loja ou empresa, seja ela pequena, média ou grande. 

Com ele, o vendedor pode se apresentar e estabelecer um contato inicial, deixando seus dados para que o cliente possa retornar e voltar a falar com ele.

Também há aqueles cartões de visita mais abrangentes que não contém o contato específico de um atendente, mas sim da empresa. Nesses casos, é comum que eles sejam entregues na recepção ou por qualquer membro da equipe. Porém, no setor comercial, o mais comum são aqueles que o vendedor coloca as suas informações de contato.  

Agora, o cartão fidelidade, não diferente do caso anterior, também cabe em todos os setores. O que muda é que existem modelos mais simples e pessoais que são usados em lojas e estabelecimentos menores, onde o contato com os clientes é mais íntimo e outros que são usados em lugares maiores. 

Quando a empresa é muito grande, há programas de fidelização de clientes que fazem mais sentido e podem ser melhor administrados, como os feitos por pontos em sites através do CPF, por exemplo. 


Quer conhecer tudo sobre os diferentes tipos de programas de fidelidade, o que eles são e como aplicá-los à sua loja? Esse conteúdo te dá todas essas informações!


Integre os dois cartões

Você sabia que pode integrar os cartões? Pensando que os dois têm os mesmos objetivos (fazer o cliente se lembrar da marca e levá-lo à fidelização), usá-los juntos é uma boa estratégia.

Pense primeiro no cartão fidelidade, pois para criá-lo é necessário ter um programa de fidelidade. 

A partir disso, o desenvolva conforme as necessidades. Por exemplo, se a loja vende roupas e artigos infantis, como fraldas, chupetas, mamadeiras…  Certamente o público-alvo precisa comprar esses produtos frequentemente, então crie algo como “na compra de dez pacotes de fraldas, você ganha um hidratante corporal para bebê”. 

No cartão, você pode colocar espaços para carimbar sempre que uma venda for feita. 

Agora, no verso, você coloca as informações básicas de visita, como nome, número de telefone, e-mail e, se quiser, horário de atendimento. 

Integrar essas duas estratégias ajuda na hora da abordagem de clientes. Quando for entregar o cartão de visitas, já será possível falar do programa de fidelidade para o cliente, o que agregará valor a esse primeiro contato. 

Como fazer cartão para clientes

Para criar um bom cartão, o primeiro ponto é entender que ele precisa ser profissional. Não há necessidade de ele ser floreado, o importante é que converse com a identidade visual da marca. 

Com isso em mente, contrate um bom profissional para desenvolvê-lo. Mas, se você tem habilidade com edição de imagens, diagramação e gosta de botar as mãos na massa, aqui vão duas dicas para te ajudar nesse processo:

Canva: é uma ferramenta online para a criação de visuais em diferentes formatos. Ele tem uma versão gratuita e é fácil de usar. 

Como última dica, você pode baixar modelos de cartão de visita em sites de banco de imagem gratuitos e apenas alterar as informações que desejar. Mas, cuidado para não ficar genérico e sem identidade própria.Se houver a possibilidade, contrate os serviços de um profissional! 

Gostou desse conteúdo? Acesse outros artigos como esse no blog do IEV!