Gestão de produtos: o que é? Como implementá-la e ter sucesso?

De uma forma bem simples, gestão de produtos é a prática estratégica de concepção, desenvolvimento, execução, lançamento no mercado, acompanhamento de tendências e aprimoramento contínuo de produtos ou serviços de uma empresa.

Ou seja, não basta ter uma boa ideia sobre a criação de um produto. É preciso compreender o que o mercado quer e adequar o seu conceito para que ele tenha uma melhor aceitação.

Além do mais, visando uma boa divulgação, a gestão de produtos, juntamente com o marketing, estudam quais abordagens ao público são adequadas ou não.

Ficou curioso para saber mais sobre gestão de produtos e descobrir como ela impacta positivamente as suas vendas? Basta continuar lendo.

Gestão de produto x Gestão de projeto

É muito comum haver confusão entre gestão de produto e gestão de projeto. Saiba que são atividades diferentes, mas que se complementam.

O primeiro é responsável por pesquisas, definição de visão e por manter um roteiro. Já o  segundo tem como responsabilidades: dividir a iniciativa e delegar tarefas, planejar cronogramas e monitorar do início ao fim a realização da tarefa.

Simplificando, enquanto a gestão de produto observa o comportamento do consumidor e pensa em uma mercadoria adequada, a gestão de projeto trata de dar corpo e forma, até chegar ao produto final.

Gestão de produto x Marketing do produto

Para quem está iniciando na área, este é outro ponto que causa dúvidas. 

A confusão se dá exatamente por ambos lidarem com o público consumidor. O marketing  estuda a melhor linguagem para apresentar o produto e tem como propósito abordar o cliente da forma mais assertiva possível.

Enquanto isso, o gestor estuda hábitos do consumidor para adequar o produto e oferecer algo que seja atrativo e funcional. Além disso, estuda-se o mercado para apresentar um diferencial.

Para que não haja mais dúvidas, o marketing cumpre a função de divulgar serviços e produtos. Em paralelo, temos a gestão que administra o que será ofertado.

Como fazer uma gestão de produtos de forma assertiva?

Agora que você já sabe a diferença entre gestão de produto, gestão de projeto e marketing de produto, está na hora de pôr a mão na massa. Criamos um guia completo para ajudar você a alavancar as vendas.

1. Identifique uma necessidade

Qualquer produto existe para sanar uma necessidade. Sendo assim, que problema o seu futuro item irá resolver?

Ao compreender que ele tem uma função real, está na hora de colocá-lo no papel para reunir mais informações.

2. Aprenda a tirar a sua ideia do papel

Não importa se é um produto novo ou se é o aperfeiçoamento de algo existente, é preciso gerenciar as ideias. Primeiramente, considere se é viável, se o serviço ou produto será útil para o mercado e se as pessoas pagarão por isso.

Além disso, é preciso analisar se existe um público suficientemente grande para que a ideia saia do papel e seja produzida.

Se a resposta for positiva para todos esses questionamentos, está na hora de evoluir e ir para o próximo passo.

3. Elabore um briefing e estabeleça uma visão total do produto

Agora, o conceito está mais sólido. Neste importante passo, você precisará avaliar o quão relevante é a criação dessa mercadoria. Ela agregará valor ao mercado? E à empresa?

Em seguida, é preciso estabelecer o que é uma venda de sucesso.

Por exemplo, uma companhia de produtos para gatos decidiu inovar na área de higiene animal. O produto final é uma areia higiênica que tem o objetivo de identificar, com mais precisão, prováveis problemas de saúde felina. O sucesso é medido por meio de vendas semanais, avaliações positivas e recomendações a outros usuários.

4. MVP: Produto Mínimo Viável

Agora chegou a hora de pôr em prática tudo que foi pensado e discutido. Após a validação e a viabilidade de um produto, está na hora da equipe de criação entrar em jogo.

A primeira etapa é estabelecer o conjunto mínimo de funcionalidades. Em seguida, o time deve construir uma versão funcional do produto que será testada com usuários reais. Ou seja, o MVP – Produto Mínimo Viável – será o primeiro protótipo.

E o que é MVP? O Produto Mínimo Viável é uma versão mais enxuta do projeto original, contendo a funcionalidade principal.

Por exemplo, foi observado no mercado a existência de uma demanda de pessoas que necessitam ir do ponto A até o B. Logo, após uma reunião de ideias, o melhor produto para resolver essa dor é desenvolver um carro como produto. Como seria o MVP desse projeto?

Ao pensar no mínimo de um carro, pode ser que venha à cabeça uma roda, depois a outra, para em seguida vir o motor e a carroceria, certo? O MVP é o conceito contrário a isso. Não estamos falando no mínimo do produto final, mas sim do projeto.

Ou seja, não é o mínimo de um carro, mas sim o mínimo para conseguir deslocamento. Então, o mais barato e funcional seria um skate, que seria futuramente incrementado, virando patinete, para em seguida ser uma bicicleta, uma motocicleta e, por fim, o carro propriamente dito.

Além disso, o MVP é uma grande ferramenta para gestão de produtos. Afinal, ele serve para validar cada etapa, recolhendo feedbacks de quem já está utilizando o produto/serviço e sentindo se a direção está certa.

5. PDCA: Planejar, Fazer, Checar e Agir

De acordo com o SEBRAE, PDCA é uma metodologia de melhoria contínua de produtos e serviços. Ou seja, se repete infinitamente para obter um resultado superior ao anterior, sempre com base em informações reais na utilização dos clientes.

Sendo assim, com um produto pensado, discutido, elaborado, testado e em constante melhoria, podemos dizer que a gestão de produtos foi um sucesso. Dessa forma, a probabilidade de aumento nas vendas é alta.

Pronto para uma gestão de produtos de sucesso?

Ao identificar uma necessidade no mercado consumidor e ver aí uma possibilidade de negócio, já é um passo importante. No entanto, a tarefa de conceber e tirar do papel é muito mais complexa do que se imagina, por isso é muito importante ter uma organização.

Com as dicas dadas ao longo do texto, a gestão de produtos será uma tarefa mais assertiva e com menor probabilidade de erro. Este texto foi criado pela equipe do olist, uma solução completa para lojas que querem vender online de forma prática e profissional.

Temos ferramentas que facilitam a criação de loja virtual, a venda em marketplaces e a operação logística no e-commerce. O olist já tem milhares de lojas parceiras no Brasil e em mais de 180 países.