Empresa de ferragens aumenta 40% de suas vendas em apenas dois meses

Fabricio Alves de Oliveira é administrador de empresas e, há 19 anos, trabalha no ramo da construção. Ele conta que sempre via muitos atrasos de obras, com construtores que não conseguiam finalizá-las com o valor fechado e, consequentemente, mais clientes estressados. Por isso, em 2012 no interior de São Paulo, resolveu fundar a Construaço, empresa de ferragens.

O início da Construaço

Tudo começou quando Fabrício conheceu a máquina responsável por fabricar ferragens. Disso, ele percebeu que poderia solucionar uma das maiores dores no ramo da construção civil: os atrasos.

Com a máquina, o tempo seria otimizado e as obras terminadas antes do tempo, aumentando a agilidade nas entregas.

Assim que abriu sua empresa de ferragens, o gestor resolveu fazer sua primeira obra para teste e os resultados foram satisfatórios. Ao invés de ser finalizada em 10 a 12 meses, a obra foi terminada em sete meses, representando uma redução de 30% no tempo de entrega.

A agilidade nos processos de produção da Construaço não só beneficiou o cliente, como também o construtor. Neste caso, o valor que sobrou para este profissional era o equivalente ao que ele utilizaria nos meses reduzidos.

Crescimento expressivo

Após oito anos de sua fundação, a Construaço possui, hoje, uma unidade na cidade de Regente Feijó, interior de São Paulo, e 35 funcionários no total.

De acordo com Fabricio, desde 2019 a empresa de ferragens dobrou o tamanho da produção e das vendas e o plano é de crescimento constante. “O plano é triplicar até o ano que vem”, detalha.

O administrador comenta que, no ramo do varejo, identificou – com base em pesquisas com construtores – que esses profissionais não sabiam exatamente quais são as peças que precisavam para as obras. Então, desenvolveu a técnica da Construaço que calcula a quantidade exata de ferragens, os tipos e o valor final que o cliente precisaria, tendo como base seu projeto. Todas essas informações são disponibilizadas antes mesmo de iniciar a construção, o que evita atrasos na produção do material e na entrega.

Além disso, a empresa de ferragens também atua também no setor do atacado. Fabricio de Oliveira explica que a Construaço segue se aperfeiçoando e trabalhando direto com empreendimentos (como Minha Casa, Minha Vida), condomínios e outros projetos estruturais.

Outro ponto importante sobre a atuação do seu negócio é que, segundo Fabricio, eles não trabalham com um produto específico, mas sim com as demandas do projeto inteiro. “Isso facilita na negociação, pois acaba sendo uma só”, comenta.

Formando e preparando o time de vendas

Conforme a empresa de ferragens foi crescendo, os departamentos foram criados. Até 2018, a Construaço não tinha time de vendas, apenas uma vendedora para o ramo de atacado.

No entanto, o gestor percebeu que esse cenário precisava mudar e sua equipe comercial tinha de aumentar. “Eu precisava contratar vendedor e não sabia como”, disse. Ao mesmo tempo, a necessidade de se aperfeiçoar nas técnicas de vendas também foram aparecendo.

Com uma pesquisa na internet, Fabricio conheceu o IEV. “Quando veio o representante de Presidente Prudente oferecer para mim, ele me apresentou o programa e eu já disse que queria fechar”, relata o gestor.

Por que escolheu o IEV?

Fabricio ressalta que a escolha do IEV foi, principalmente pelo suporte à sua equipe comercial: “Escolhi o IEV pelo projeto. Não era só um curso de treinamento de venda, é um projeto de venda anual com acompanhamento de mentorias”.

Ainda nessa linha, o gestor da empresa de ferragens detalha sobre o grande diferencial do Programa do IEV:  o apoio exclusivo, com mentores, analistas e tempo agendado conforme suas dores e demandas.

Números que só crescem

“Depois que contratei o IEV, nossas vendas dobraram”, relata Fabricio com orgulho.

Ele também conta que o Programa de Desenvolvimento Comercial do IEV indicou a importância de trabalhar em cima de todos os potenciais clientes no atacado – que geram 80% das vendas da empresa. A Construaço focou nisso, e em dois meses as vendas alavancaram em 40%.

As técnicas de vendas ensinadas no Programa realmente ajudaram a facilitar o fechamento da empresa de ferragens. O gestor contou que sua equipe já usava algumas, contudo, não sabia que eram técnicas. Com o conhecimento adquirido por meio do treinamento, isso facilitou tanto para o cliente, quanto para o vendedor. “É fantástico!”, disse Fabricio.

Com o sucesso das vendas e, consequentemente, o aumento do trabalho, os vendedores não estavam tendo tempo para realizar as aulas e responder as perguntas. Diante disso, o fundador da Construaço adquiriu o hábito de fazer o treinamento do IEV diariamente por 30 minutos com o time comercial.

Eles assistem as aulas após o expediente, respondem e discutem as questões todos juntos. “Às vezes, uma discussão de um dia, acaba durando três. Se surge alguma dúvida ou questão, a gente leva para mentoria”, relata Fabricio.

Ele ainda conta que a equipe realmente está absorvendo o assunto, sem perder nada, graças ao suporte que recebe do IEV. Além disso, seus vendedores veem o resultado, especialmente quando levam na prática.

O que torna o IEV especial?

Para Fabricio, o principal benefício que o Programa de Desenvolvimento Comercial do IEV traz para sua empresa de ferragens é o suporte.“Ele nos orienta e soluciona na raiz da empresa: a venda. E ela que mantem a empresa estruturada, aprofundada, já que é a raiz que absorve os recursos”, indica.

O gestor ainda complementa: “A venda é uma raiz, que absorve todo o nutriente, o faturamento, o lucro e espalha para o resto da árvore – que é o resto da equipe –, dando frutos”.

Se Fabricio de Oliveira fosse recomendar para um amigo, ele comenta que, primeiro, questionaria a pessoa: “Você conhece alguma faculdade ou curso de vendas que oferece assessoria e suporte por um ano?”.  A partir de então, o gestor recomendaria o IEV, principalmente pelo acompanhamento e mentorias integrais que só o Programa oferece.