Como definir a Cultura Organizacional da sua Empresa

Como definir a Cultura Organizacional da sua Empresa

A Cultura Organizacional de uma empresa é a maneira de pensar e agir institucionalizada, permeando todas as decisões de um negócio com base em valores comuns e uma identidade própria. Essa cultura é transmitida através de ritos e rituais, ou seja, atividades padrão que são constantemente repetidas e reforçam uma conduta a ser seguida, como acontece a integração de funcionários, promoção, reuniões gerais etc. 

Essa organização se manifesta em diversos níveis, aqueles que são facilmente visíveis como a estrutura espacial do ambiente de trabalho, os uniformes ou ausência deles, a identidade visual das redes sociais; os invisíveis, que compreendem a abordagem e postura dos funcionários, as justificativas para o posicionamento no mercado; os ocultos, internalizados pelas práticas dos outros itens, abrangendo decisões inconscientes baseadas na crença nos valores estabelecidos.  

Definir ou mudar uma cultura não é algo que ocorre da noite para o dia, geralmente são características passadas de gestão em gestão por gerações, não existindo um tipo melhor que o outro, apenas o que melhor se aplica para cada empresa naquele determinado contexto. Mas uma coisa é certa, possuir uma cultura organizacional bem definida, e garantir que ela seja fortemente compartilhada entre seu time, é essencial para o rumo de seus negócios, bem como para o relacionamento com os clientes, aumentando as chances de identificação dos consumidores com a marca. 

Existem algumas considerações que você deve fazer na hora de reformular ou definir a Cultura da sua empresa

  • Contexto

Há uma grande discrepância entre uma empresa baseada no Brasil e uma no Japão, por exemplo. Considere o meio em que está inserido, a cultura do país, os aspectos locais e regionais que podem influenciar a forma em que sua equipe e também seu público age. Ou, se seu foco é mais abrangente, adote uma estratégia mais global. 

A situação econômica é outro fator de influência, bem como o momento histórico, se são tempos de recessão ou expansão do mercado, se é necessário priorizar uma abordagem mais consolidada ou se o clima está propício para inovar e assumir riscos.

É importante observar que, nos últimos anos, houve um crescimento das startups, com grande ênfase na tecnologia e ambientes de trabalho descontraídos, assim como uma mudança de paradigma em relação ao papel do funcionário, humanização das funções e felicidade como fator determinante da produtividade. 

  • Perfil da Empresa

Qual a história do seu negócio? Trata-se de uma empresa tradicional? Familiar? Ou surgiu através de uma ideia inovadora? 

Este é momento de avaliar se sua cultura organizacional será mais adaptativa ou conservadora. Lembrando que, independente da escolha, as duas são válidas e precisam se relacionar com o que fez sua marca chegar até aqui, ou com o lugar em que você planeja chegar. 

Qual o seu público alvo? Quem são as pessoas que compram seus produtos e quais as características que vocês têm em comum? As semelhanças serão um norte para elaborar o perfil da empresa ou alterá-lo para atingir outros consumidores. Independente da escolha, não esqueça sua motivação no caminho da mudança, lembre-se por que sua empresa existe, qual sua missão no mundo? 

  • Potencial e Integração da Equipe 

Com o perfil organizacional mais delimitado, foque nas competências da sua equipe. O que um funcionário precisa ter para se adaptar à filosofia da organização? As pessoas são os verdadeiros motores da cultura organizacional, são elas que vão internalizar e botar em prática todos os conceitos, portanto, dedique muita atenção nesse quesito. Assim que for definido um modelo ideal de conduta, ficará muito fácil recrutar, orientar e cobrar seus funcionários, como também construir um ambiente propício para que estes se qualifiquem, evoluam e vistam a camisa da marca. 

Pense em como deve ser a interação entre os membros, o sistema de hierarquia, organograma e o tipo de liderança necessária para garantir que os ritos e rituais sejam cumpridos, que a cultura realmente faça diferença no dia a dia dos negócios, pois, como apontado, a mudança é gradual, leva tempo e vem com a prática. 

  • Comunicação 

Uma comunicação eficiente, tanto interna quanto externamente, ajudará a alinhar todos os princípios estabelecidos e será a expressão máxima do sucesso da cultura organizacional. 

A linguagem utilizada, a construção de significado, a identidade visual, o atendimento, a presença online, tudo isso será um reflexo da cultura e o legado da sua empresa. Seja coerente nas suas escolhas, colocações e campanhas, desta forma, a sua imagem terá prestígio e será respeitada pelos clientes. 

As ações de marketing, por exemplo, passaram a muito tempo do lugar comum de apenas anunciar um produto ou serviço, as peças publicitárias contam uma história, trazem informação e buscam o engajamento antes dos resultados. Os valores transmitidos nesses posicionamentos devem ser os mesmos definidos pela sua cultura organizacional, sempre pautados na realidade. 

No âmbito da gestão, a comunicação é uma ferramenta para cultivar as relações dentro da equipe e zelar pelos hábitos positivos, afinal, não há mudança sem que haja um canal eficiente para esclarecer dúvidas, fazer sugestões e transmitir conhecimento de maneira clara. Os funcionários têm que possuir a liberdade de se expressar e, assim, sentir que fazem parte de maneira genuína da organização. 

A Cultura Organizacional não é algo tão exato quanto as metas ou o faturamento da sua empresa, mas com certeza é um dos pilares dela. São práticas que exigem muita dedicação e trazem muito mais resultados do que se possa imaginar. É algo que realmente faz a diferença no seu negócio, melhora seu ambiente e, claro, reflete nas vendas e na satisfação dos clientes. 

Continue lendo: Entrevista com Victor Vieira – 5 dicas valiosas

Siga nossas redes sociais: Facebook e Instagram